{Café com autores} - A. B. Kingsley



Uma autora que me cativou de uma forma neste mês foi a fofa da  A. B. Kingsley que escreveu a obra  O filho do dragão, se caso você não viu nossa resenha veja e acima de tudo leia esse magnifico livro, além de ser uma diva escrevendo ela é um doce de pessoa e arrumou um tempinho para nós meros mortais e respondeu algumas perguntas sobre sua carreira e de seu novo canal no youtube. Deixo nesta postagem meus sinceros agradecimentos a autora por confiar e acreditar em meu trabalho e dou boas vindas como parceira do blog <3 

   



























L&S : Quando perceberam que o seu destino era ser escritora? 

ANNA : Eu sempre escrevi desde pequena e ouvia bastante desde a infância que tinha talento para a escrita, mas acho que a primeira pessoa que realmente acreditou que eu deveria me dedicar profissionalmente a isso foi minha professora de literatura e redação no ensino médio. Ela realmente queria que eu seguisse a carreira literária ou jornalística, e me fez prometer que mesmo que eu me decidisse por outra carreira eu continuaria a escrever sempre. E graças a essa promessa surgiu o conto que deu origem à minha primeira trilogia.

L&S : De onde vem os personagens? De alguma forma se relacionam com alguém que conhecem?

ANNA: Os personagens basicamente surgem na minha mente, não tenho muitas fontes externas de inspiração, eu simplesmente os imagino e eles conversam bastante na minha cabeça (risos). Mas acho que podem existir características físicas ou traços de personalidade de pessoas que conheci ou convivi durante a vida. Nenhuma em específico, mas uma mistura delas. Acho que sempre cruzamos na vida com a menina malvada, a amiga durona, a amiga inteligente ou o menino aparentemente perfeito. Mas ninguém é apenas uma coisa e a mistura das características próprias com as características em comum é o que faz dos personagens pessoas como nós e, ao mesmo tempo, únicos.

L&S : Qual o seu livro e autor favorito? Guiam-se por eles na escrita de seus livros?

ANNA : Vou escolher dois favoritos. Orgulho e Preconceito de Jane Austen e a série Harry Potter da J.K. Rowling. Há vários livros que eu poderia citar como preferidos e que me influenciaram, mas estes com certeza concorrem em primeiro da lista, apesar das diferenças no gênero literário. Eu poderia dizer que com Jane Austen eu aprendi muito sobre personagens femininas fortes, que rompem as barreiras de sua cultura e tempo para fazer o que consideram certo. Eu adoro como Elizabeth tem humor, inteligência e uma força incomum para os padrões da sociedade de sua época, e ainda sim é uma pessoa normal com defeitos e dramas da vida real. Procuro sempre trazer esse lado humano aos meus personagens. De Rowling admiro, além da sua construção de personagens, também a magia do universo que ela criou, tão rico em detalhes, com um roteiro perfeitamente planejado para nos surpreender até o fim sem deixar buracos. A escrita dela é magnifica e faz com que a gente se conecte imediatamente à história. A mensagem que ela passa sobre amor, lealdade e amizade tocou a milhares de pessoas no íntimo, e com certeza gostaria que meus livros um dia também inspirassem meus leitores.

L&S : Enquanto esta  escrevendo, partilham a história com alguém para pedir conselhos?

ANNA : Sim, durante o meu primeiro livro compartilhei bastante sobre a história com alguns dos meus amigos (que devem ter ficado cansados de me ouvir). Eu quis a opinião deles sobre a história, partes do texto, arte final, etc., e eles me acompanharam durante praticamente todo o meu processo criativo até o lançamento. Meu namorado também me ajuda bastante lendo os primeiros rascunhos e me dando retorno sobre o texto e a história. Basicamente se ele fica com alguma dúvida no roteiro é provável que os leitores também  fiquem, então isso me ajuda a sondar partes que possam não estar tão claras e a tornar a história mais agradável.

L&S : Quanto tempo demorou a escrever seu livro?

ANNA : Eu comecei a escrever durante a faculdade e me dediquei alguns meses a ele, mas logo com a correria de trabalho, projetos, teatro e TCC fui obrigada a deixar o livro de lado por algum tempo e só voltei a trabalhar nele há pouco mais de três anos atrás. Eu reformulei a história, o roteiro, as personagens e fiz um trabalho pesado de pesquisa. Poderia dizer que o tempo produtivo total seria de quase 4 anos para desenvolver o trabalho completo.

L&S : Qual é a história dos seus livros ?

ANNA : A trilogia Lobos e Dragões conta a história de Alexa e como ela teve sua vida virada de cabeça para baixo. Ela é uma jovem de dezessete anos que, após a morte do pai, deixa para trás seu lar na Transilvânia em busca de um novo começo em Londres, onde passa a viver com a tia. Na nova cidade as coisas só pioram quando ela se vê sendo caçada todas as noites por um assassino sobrenatural. Para piorar ela se depara com seu assassino na escola e ele não se mostra nada parecido com o que ela pensava, nem tampouco sua família e amigos. Todos escondem grandes segredos e sua vida inteira se mostrou uma trama de mentiras, que escondia inclusive suas verdadeiras origens e habilidades. Alexa descobre que possui um grande fardo sobre seus ombros: ela é A Filha do Lobo, o cumprimento de uma antiga profecia que promete por fim a um conflito entre duas grandes e poderosas famílias.
Mas, para ser a pessoa que todos esperam, ela tem que lutar pela vida na arena contra a pessoa que mais ama. Agora ela deverá escolher entre ouvir seu coração e viver um grande amor proibido ou cumprir seu destino e salvar a humanidade da catástrofe, abrindo mão de tudo que ama.

L&S : Como surgiu a ideia de produzir o livro?

ANNA : A história surgiu de uma série de contos para um blog em que eu era co-autora. Cada parte era postada como um capítulo uma vez por semana. A história se mostrou um grande sucesso e eu precisei postar com uma maior frequência, até que os leitores pediram que ela fosse transformada num livro. Eu então resolvi trabalhar mais profundamente na história para quem sabe criar um novo romance, que acabou se transformando em uma trilogia tamanha a proporção que o projeto tomou.

L&S : Alguma personagem tem um pouco mais da sua personalidade? Qual?

ANNA: A Alex. Acho que coloquei muito da minha personagem nela, inclusive a teimosia e rebeldia (risos). Acho que a Alex é bem determinada e sempre tenta seguir em frente apesar das dificuldades, eu tento seguir a vida assim e queria com certeza ter mais da força dela.

L&S : Você sempre foi escritora? Como surgiu a vontade de escrever profissionalmente?

Sim, desde que me lembro. Minha primeira história escrita de que tenho registro foi com aproximadamente seis anos e eu já era exibida o suficiente para contá-la na escola para minha turma (risos). A vontade de escrever a sério surgiu no ensino médio, mas só foi levada realmente adiante há aproximadamente três anos atrás quando tive certeza de que era o que eu amava e queria fazer.

L&S : Qual foi a maior dificuldade encontrada ao escrever os livros?

ANNA : Acho que a questão do tempo. Reservar um tempo para me dedicar exclusivamente a isso em meio a tantas atividades foi complicado. Escrever um livro requer além de imaginação e uma boa história, muito tempo de dedicação, pesquisa e revisão. Mas valeu cada minuto com certeza.

L&S : Quais dicas você dá para quem quer iniciar a carreira de escritora?

ANNA : Vou destacar as que considero principais:
Ame o que você faz: escrever é um trabalho árduo e que nem sempre é reconhecido. Paixão por esse trabalho é fundamental para seguir em frente quando as dificuldades surgirem, e pode acreditar que surgirão muitas.
Escreva sobre algo que você goste: escrever algo seguindo um estilo apenas porque está na moda não funciona nem para quem escreve, que se sente desmotivado, nem para quem lê que acabará com um trabalho mediano em mãos. Quando você coloca seu coração na história, o leitor pode sentir isso. No mundo literário existe muita gente ditando regras sobre o que você deve ou não escrever, sobre o que é aceitável e o que não é, mas ignore as regras. Ninguém que alcançou o sucesso trilhou um caminho já traçado, faça seu próprio caminho, inove.
Dedique-se: Leia muito, ler amplia seu vocabulário, explora novas áreas da imaginação, te faz sentir empatia pelo outro, se colocar na pele de pessoas com realidades diferentes da sua. Tenha uma boa base de sua língua. Se você quer ser escritor as palavras serão seu apoio, seu instrumento de trabalho e é preciso que você saiba usá-las corretamente. Pesquise muito sobre o que pretende escrever. Se você não conhece o local onde quer que sua história se desenrole, precisará dedicar muito tempo em pesquisas sobre cultura, história, língua, clima, vegetação e qualquer outro dado relevante à caracterização daquele local. Se você vai falar sobre seres sobrenaturais é interessante ter uma noção sobre lendas destes seres ao redor do globo. Se você vai escrever sobre experiências físicas que nunca experimentou precisará saber que aspectos biológicos são desencadeados. Escrever um livro envolve um trabalho completo de pesquisa e com certeza nosso histórico do Google deveria ser proibido para outras pessoas (risos).
Acima de tudo divirta-se.

L&S :  Quais são os amores e as dores dessa profissão?

Eu acho que as dores seria a dificuldade de ter seu trabalho reconhecido a um nível mais amplo, principalmente como autores nacionais. Ainda há muito preconceito no mercado literário e nem sempre conseguimos que nosso trabalho chegue aos leitores. Normalmente apenas autores que já tem destaque no mercado conseguem ser publicados e divulgados por grandes editoras.

Os amores são, com certeza, além do prazer em si de escrever, o retorno dos nossos leitores. As palavras de animação e incentivo com os livros nos levam a seguir adiante nos dias mais difíceis, quando pensamos em desistir. Sou muita grata a cada leitor que acompanha minha carreira e espero tê-los ao meu lado por muito tempo e fazer um trabalho cada vez melhor para eles.


L&S : Fale um pouco sobre seu canal no youtube.

 Meu novo canal trará dicas voltadas principalmente para autores iniciantes. Quando comecei a escrever notei que não encontrava ajuda para os tópicos que eu precisava em canais do Brasil, e só fui encontrar ajuda em canais de autoras estrangeiras. Por sorte eu sou fluente em inglês e isso não foi um problema, mas passei a me perguntar como fariam os novos autores brasileiros que não tivessem o domínio da linguá. Daí surgiu a ideia de criar o canal onde darei dicas sobre: roteiro, criação de personagens, elaboração de títulos, tirarei dúvidas sobre formas diferentes de publicação (inclusive voltadas para as opções que temos no Brasil) e qualquer outro tema relacionado a todas as etapas do processo de criação do livro até depois de ser lançado no mercado. Tudo isso baseada não só na minha própria experiência de erros e acertos, mas também em dicas de autores ao redor do mundo. O projeto que estou criando é uma forma de ajudar a alavancar nossa literatura e poder mostrar para o mundo que temos autores tão bons quanto os de países estrangeiros se for dada a oportunidade.



Ela é muito fofa gente <3 E uma novidade sobre a continuação do seu livro. Que venha 2018 logo <3





 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!